Silvio Médici, presidente da Abeetrans, foi recebido hoje em Brasília pelo ministro Marcos Jorge, da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. O tema da reunião foi a prorrogação da Portaria 544, do Inmetro, que desde 12 de fevereiro exige que só sejam instalados no país radares com nova arquitetura de software e hardware.

“Mostramos ao ministro que a indústria nacional é a favor das inovações definidas na portaria, mas que o prazo para mudanças tão importantes e sofisticadas precisaria se estender por mais seis meses. Ele entendeu nossa argumentação”, disse Médici.

Segundo Médici, o impacto imediato da Portaria 544 no trânsito brasileiro é a interrupção de instalação de radares, já que o mercado nacional não tem equipamentos para atender os contratos. “Ficar sem radares, especialmente de velocidade, vai aumentar, certamente, as estatísticas de mortes e feridos no Brasil. Nós trouxemos aqui um alerta de interesse público da mais alta relevância”, disse o presidente da Abeetrans.

“Vou respeitar a autonomia administrativa do Inmetro, naturalmente, mas vou conversar com o presidente do órgão a respeito da prorrogação por seis meses”, afirmou o ministro Marcos Jorge.

Participaram da reunião: deputado Luiz Carlos Hauly, Andrea Santini (Inmetro), Adalberto Romar (assessor parlamentar), Neuri Mantovani (assessor parlamentar), Nayhara Branquinho (Ministério da Indústria), Cristiane Amorin (Inmetro) e Victor Agostinho (Abeetrans).