Recentemente recebemos a notícia que o Brasil deu o primeiro passo para fazer parte da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) como um membro pleno, se juntando ao grupo das economias mais avançadas do mundo. Desde 2017, o Brasil tenta integrar a OCDE, que hoje tem 38 países, entre eles os Estados Unidos, o Reino Unido e o Japão. A OCDE é um grupo que trabalha para construir vidas melhores, segundo a própria descrição da entidade.

No último mês de maio (2021), a OCDE em parceria com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), lançaram o estudo “Combate a cartéis em licitações no Brasil: Uma revisão das compras públicas federais”, que teve participação direta da Abeetrans, por meio do presidente executivo, Silvio Médici, da responsável pelo setor Jurídico, Flávia Rapatoni e do Rafael Valin, consultor jurídico da Abeetrans.

O trabalho, que começou em 2019 contém recomendações sobre o quadro normativo e as práticas referentes a compras públicas federais com foco na elaboração das licitações e nas ações para aprimorar a detecção de cartéis em licitações.

“Para nós é um orgulho ter participado desse trabalho e ver agora que ele pode ter ajudado o país a ser convidado a integrar a OCDE. É um longo caminho, mas a Abeetrans com essa contribuição cumpre sua missão que é buscar a efetiva melhoria das relações público x privado dando transparência as suas ações e assim buscando a melhoria da qualidade de vida da sociedade brasileira, por meio  de mecanismos de apoio às empresas nacionais e entidades relacionadas ao setor, gerando um ambiente adequado ao avanço do comércio e o desenvolvimento tecnológico”, finaliza Silvio.

Acompanhe o lançamento do estudo, num webinar realizado entre o Cade e a OCDE, em maio de 2021.

https://youtu.be/h5O0ud5sTBQ

Conheça o estudo completo: PDF