Criado em 1993 pela RoadPeace, uma organização social do Reino Unido como uma forma de lembrar das vítimas de sinistros no trânsito, o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito teve o apoio inicial da Federação Europeia e de várias outras organizações parceiras que passaram a realizar várias ações de mobilização em todo o mundo nessa data.

Dois anos depois, em 26 de outubro de 2005, a Assembleia Geral Das Nações Unidas adotou a Resolução 60/5 que instituía a data mundialmente, buscando melhorar a segurança viária no planeta. A resolução fez um amplo convite aos Estados-Membros e a comunidade internacional para designar o terceiro domingo de novembro como o Dia Mundial em Memória das Vítimas do Trânsito.

A celebração é uma oportunidade para aumentar a consciência pública em relação à inaceitável perda de um ente querido devido a um sinistro de trânsito, além de toda dor que acomete milhares de famílias em todo mundo devido a essas tragédias. A intenção da data é também enfatizar a necessidade de intensificar os esforços para controlar esse importante problema de saúde pública, além de desenvolver apoio para as milhares de vítimas que sobrevivem aos sinistros, mas têm a vida modificada, devido as sequelas adquiridas devido a esses eventos. De acordo com estudos da ONU, apresentados na 3ª Conferência Ministerial de Segurança Viária realizada em fevereiro de 2020, em Estocolmo, Suécia e publicados no Relatório de status Global de Segurança no Trânsito – 2018 (Global Status Report on Road Safety – 2018)  morrem cerca de 1,35 milhão de pessoas vítimas de sinistros de trânsito todos os anos no mundo, sendo que 90% dessas mortes ocorrem em países de média ou baixa renda.

A Abeetrans apoia e celebra esse dia tão especial, para muitas famílias no país. Segundo o presidente executivo da Abeetrans, Silvio Médici, essa data não pode ser esquecida. “Homenagear as vítimas que perderam suas vidas por conta de um acidente demonstra nosso respeito com quem ficou. É fundamental que não esqueçamos nunca da dor que um acidente causa em muitos em todo país. Por isso, continuaremos a trabalhar arduamente, congregando, buscando novas tecnologias para que o Brasil possa alcançar a tão sonhada segurança no trânsito”, afirma Silvio.

A celebração no Brasil

Por iniciativa da ONG TrânsitoAmigo, a data foi celebrada no Brasil pela primeira vez em 2007. A partir daí várias entidades e órgãos do SNT (Sistema Nacional de Trânsito) vêm realizando ações, ainda não de uma maneira conjunta, porém, todos os anos há registros de cerimônias que marcam a data em vários estados brasileiros.

Neste ano, a Senatran (Secretaria Nacional de Trânsito) está organizando uma convocação para que toda sociedade se uma nessa importante homenagem. A intenção é marcar a data de alguma forma, seja por meio de uma caminhada reunindo não só familiares de vítimas dos sinistros de trânsito, mas também cidadãos que entendem que podemos melhorar a segurança no trânsito para todos que transitam, seja a pé, de bicicleta, num veículo ou mesmo no transporte público.

A proposta é que, entidades do setor mobilizem a sociedade em alguma ação, seja numa caminhada, seja num passeio ciclístico, seja na realização de lives ou mesmo no compromisso de autoridades locais em lançar a pedra fundamental do monumento em memória às vítimas dos sinistros de trânsito que pode ser erguido em todas as cidades do país. O projeto desse monumento foi criado e doado à sociedade pela ONG Trânsito Amigo, há cerca de oito anos.

Lembrando de cada vítima dos sinistros de trânsito no nosso país, estamos convocando a sociedade a agir com mais prudência e se comprometendo a cumprir fielmente as regras do trânsito para que todos possam ir e voltar em segurança em todos os trajetos. Dessa forma vamos evitar que mais mortes e sofrimento acometa as famílias no Brasil e no mundo.

A nova Década de Ação pela Segurança no Trânsito

Em 2021, começamos uma nova Década de Ação pela Segurança no Trânsito e lembrar das vítimas e seus familiares é um ato de solidariedade e também de compromisso por um trânsito mais seguro. Cada cidadão, em sua rua, em seu condomínio, junto à sua família, dentro dos templos religiosos, em seu local de trabalho ou na escolha deve levar a importância da conscientização para um ir e vir mais seguro. Por isso, além das entidades e dos órgãos que compõem o SNT (Sistema Nacional de Trânsito) todos devemos nos comprometer com atitudes que preservam vidas.

No dia 28 de outubro de 2021, o Ministério da Infraestrutura, por intermédio da Senatran instituiu formalmente o PNATRANS (Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito), que é a diretriz governamental para alcançarmos a redução de 50% de mortes e feridos no trânsito até 2030. Com isso, as ações urgentes para buscarmos zero mortes no trânsito já estão delineadas para que governos, entidades e a iniciativa privada possam juntas, reverter esse quadro gravíssimo que há décadas vivemos no Brasil.

O Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito de 2021 sela o compromisso do Brasil com a paz e a segurança no trânsito.