A telemetria é uma tecnologia que ajuda a medir o comportamento e a educar o motorista. Porém, só a tecnologia não é suficiente, pois as empresas devem conscientizar seus funcionários sobre os impactos que os acidentes causam na qualidade de vida deles e seus familiares, para que realmente haja uma mudança de comportamento na direção.

Por diversos fatores, o custo dos acidentes, que já é alto, vai continuar crescendo. O custo médio de um acidente no Brasil é avaliado em R$ 58 mil e os  maiores fatores que impactam nesse valor são:

– danos ambientais;

– indisponibilidade da frota;

– não atendimento aos clientes;

– ressarcimento a terceiros acidentados;

– perda de capacidade produtiva e absenteísmo.

Inclusive, os maiores causadores dos acidentes são a imprudência e o cansaço na direção. Por isso, monitorar estes dois pontos e alinhar as metas da empresa com eles é fundamental na prevenção.

E na sua maioria, os acidentes são consequência de comportamentos perigosos, dessa forma, trabalhar na redução destes irá impactar diretamente no seu número. A primeira causa mais frequente é o excesso de velocidade, depois a direção agressiva. Dessa forma, a empresa deve criar uma política de direção segura, divulgar e treinar os funcionários, bem como rever as metas de produtividade, que devem estar sincronizadas com esta política, assim os funcionários não vão dirigir de forma perigosa para cumprirem prazos extremamente curtos.

Outro aspecto importante é ter uma meta de redução de consumo de combustível, pois direcionará os funcionários a dirigirem de forma mais prudente. Algumas empresas fazem treinamento de direção defensiva e outras formas de conscientização. Algumas criam planos mais eficientes, que envolvem a família dos funcionários, prêmios semanais para bons motoristas, entre outras ações, que são medidas consideradas extremamente eficazes no caso de transportadoras.

Sempre reforço a questão de que o foco deve ser sempre na pessoa e no seu comportamento, pois isto é o que faz a diferença no plano de segurança.

Outra medida eficaz é evidenciar os impactos que um acidente pode causar na qualidade de vida das pessoas com exemplos; as vezes, é um pouco chocante, mas é muito eficiente. Nesse caso, vale reforçar o impacto da ausência dos pais na vida dos filhos, na carreira de trabalho, as limitações nas atividades de lazer etc., e como tudo isso impacta fundo nas pessoas e pode trazer mudança no comportamento.

Cansaço

Seguir a legislação de tempo de direção já é suficiente para reduzir muito o risco por cansaço. A lei prevê pausas para descanso durante o dia e 11 horas de descanso entre um dia e outro. Isto basta para o organismo se recuperar e fazer com que os reflexos do motorista estejam plenamente prontos para atender a uma situação de perigo.

Os sistemas tradicionais de controle por meio de papeleta são bastante complexos para gerir, de forma que utilizar uma tecnologia de telemetria torna-se muito mais eficiente para controlar o tempo de direção. A conscientização dos motoristas e o planejamento adequado das viagens ainda é fundamental para gerir o tempo no transporte e retirar o cansaço como causa de acidentes da frota.

Tecnologia

Para ajudar na tarefa de reduzir os riscos na direção, diversas empresas vêm investindo em sistemas de monitoramento que avaliam o estilo de direção do motorista.

Os sistemas de telemetria mais avançados pontuam as violações, tais como excessos de velocidade, tempo elevado de direção contínua, freadas bruscas, entre outros, identificando os melhores motoristas e dando retorno na cabine, seja um alarme sonoro, um alarme visual em um teclado ou até em um sistema de voz sintetizado, que serve para, de forma educativa, reduzir os comportamentos de risco.

As empresas depois vinculam as metas dos motorista a esta pontuação de forma a incentivar o uso mais seguro do veículo no trabalho.

O importante é sempre aliar a tecnologia a políticas internas que valorizam treinamentos constantes, pois a área de transportes trabalha com vidas e elas precisam ser valorizadas. As cargas são importantes, é claro, mas se as pessoas não se conscientizarem de quão fundamental é preservar a vida, os acidentes continuarão a acontecer e a chocar os brasileiros.