O presidente executivo da Abeetrans, Silvio Médici, esteve em visita ao Ministério da Economia nessa quinta-feira (17/10/2019) e foi recebido pelo subsecretário de Planejamento da Infraestrutura Nacional, Fabiano Pompermayer e pelo engenheiro Luis Roberto Nejm, ambos da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade.

O objetivo da visita foi o de apresentar dados e informações sobre trabalhos de pesquisa realizado pela Abeetrans, nas suas áreas de atuação no campo da segurança viária, onde atuam as suas associadas, que hoje somam 45 empresas das áreas de engenharia, sinalização, ITS e fabricantes de produtos para o setor.

Pompermayer recebeu um exemplar completo da recente pesquisa de opinião pública sobre os radares de velocidade instalados no país, realizada pela Paraná Pesquisa, a pedido da Abeetrans, no último mês de julho. A pesquisa traz uma aprovação dos equipamentos de controle de velocidade de quase 80% dos entrevistados em oito capitais do país.

Também foi entregue ao subsecretário, um estudo da Abeetrans sobre a eficácia dos controladores de velocidades, estudo esse que tomou como base dados públicos da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), entre os anos de 2010 até 2018, e que demonstram claramente que houve uma redução de 39% no número de mortes em rodovias federais no país, com a instalação dos radares.

Outro documento entregue foi a análise, também da Abeetrans, sobre efeito positivo do programa BR LEGAL levado a cabo pelo DNIT para a engenharia e sinalização de 55 mil quilômetros de rodovias federais e que demonstra que para cada R$ 1,00 investido, há uma economia aos cofres públicos de R$ 5,76 oriundos dos acidentes, mortes, lesionados e outras perdas decorrentes.

Os técnicos agradeceram os materiais e disseram que eles serão estudados mais profundamente para que possam orientar outros estudos do Ministério.

Para Silvio Médici, o objetivo do encontro foi alcançado. “Queremos abrir uma discussão com o Governo e a sociedade levando dados que possam oferecer um entendimento mais técnico sobre a eficiência e eficácia dos projetos de engenharia e fiscalização. O país não pode mais conviver com esse índices assustadores de acidentes e mortes no transito, que além do drama particular que afeta a cada família que tem uma vítima de acidente, onera toda a sociedade que paga a conta com a falta de escolas, hospitais e da infraestrutura básica do país”, conclui o presidente executivo da Abeetrans.

Veja a pesquisa completa no link: http://www.abeetrans.com.br/…/09/Pesquisa-Abeetrans-Parana.…