Brasília, 28 de agosto – A Abeetrans e os institutos brasileiros de metrologia estiveram hoje no Congresso Nacional conversando com parlamentares sobre a situação de desmonte que o INMETRO e os IPEM’s estão passando.

São os institutos de metrologia que garantem a aferição dos equipamentos metrológicos de medição de velocidade que atuam na segurança viária. Estes institutos aferem ainda embalagens, quantidades e normatizam produtos fabricados pela indústria nacional e consumidos pela população.

Sem a atuação dos institutos de metrologia, haverá aumento da pirataria e os consumidores, por exemplo, ficarão sem saber se a bomba de gasolina está marcando a quantidade certa de combustível ou se no saco de cinco quilos de arroz existem, de fato, cinco quilos do cereal.

O tema é de interesse da Abeetrans, já que o Inmetro e IPEM’s, por meio de normas e procedimentos, garantem a confiabilidade das medições de velocidade dos controladores, equipamentos fundamentais na segurança viária do país.

“Sem a atuação dos institutos de metrologia, não haverá confiabilidade em nenhum equipamento de medida, tanto da área de saúde quanto comercial.
A atuação do Inmetro é importantíssima para dar essa segurança. O corte de cerca de 50% nas verbas dos institutos vai comprometer até o custeio dos salários dos técnicos”, afirmou Silvio Médici, presidente da Abeetrans.

A comitiva, composta por diretores de todos os IPEM’s brasileiros, foi recebida pelos senadores Veneziano Vital do Rêgo e Marcelo Castro e pelo deputado federal Julio Cesar, que se comprometeram a abraçar a causa.