O presidente da CVT (Comissão de Viação e Transportes) da Câmara Federal, deputado Eli Correa Filho, recebeu hoje o presidente Silvio Médici para uma conversa sobre segurança no trânsito.

Foram discutidos, entre outros assuntos, a continuidade do programa BR Legal e a decisão do governo federal de acabar com o controle eletrônico de velocidade nas rodovias federais.

Médici explicou ao presidente da CVT detalhes da eficiência do programa BR Legal, maior iniciativa mundial de sinalização de estradas. Ao todo, o programa atingiu 55 mil quilômetros de estradas.

De acordo com levantamento da Abeetrans, a cada R$ 1,00 investidos em sinalização, o governo economiza R$ 5,76 em gastos com sistema de saúde e outros decorrentes de acidentes e mortes.

Segundo os números mais conservadores, morrem no Brasil, anualmente, mais de 40 mil pessoas e outras cerca de 400 mil pessoas ficam com sequelas permanentes em virtude do acidente.

Sobre o fim dos radares nas estradas federais, o presidente da Abeetrans entregou ao deputado Eli Correa Filho pesquisa encomendada pela associação junto à Paraná Pesquisas que captou a opinião do brasileiro sobre o uso dos radares para conter o excesso de velocidade.

Segundo o estudo, 80% dos brasileiros aprovam o uso dos controladores de velocidade no trânsito. A pesquisa foi feita em Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Fortaleza e Distrito Federal. Juntos, estas capitais de Estados e o Distrito Federal concentram cerca de 73% da frota brasileira de veículos.

Após ouvir os relatos, o presidente da CVT decidiu distribuir a pesquisa para os membros da CVT e da Comissão Especial que estuda alterações no CTB (Código de Trânsito Brasileiro).

O presidente da CVT também avalia o agendamento de uma Audiência Pública na Câmara Federal para exposição dos estudos realizados pela Abeetrans.

Os assessores Daniela Gurgel e Victor Agostinho acompanharam a reunião.